B i o g r a f i a

Priscila Bomfim é pianista e maestra assistente no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Além de seu reconhecido trabalho como pianista, desenvolve carreira como regente, tendo sido a primeira mulher e diretora musical a reger óperas da temporada do Theatro Municipal. Serse, de Handel (2016) e La Tragédie de Carmen, de Bizet/Constant (2017). Nos anos seguintes, regeu récitas das óperas Un Ballo in Maschera, de Verdi (2018) e Fausto, de Gounod (2019) como assistente, além das óperas Os Contos de Hoffmann, de Offenbach (2019) e Orphée, de Philip Glass (2019). Em 2021, regeu os espetáculos Armida (Handel), Arianna a Naxos (Haydn) e Pierrot Lunaire (Schoenberg), transmitidos de forma online pelo Theatro.

Em 2018, regeu a estreia brasileira da versão de câmara da ópera Piedade, de João Guilherme Ripper, na Sala Cecília Meireles, e foi uma das seis maestras escolhidas internacionalmente para participar da 4ª Residência do Linda and Mitch Hart Institute para Mulheres Regentes, do The Dallas Opera (Texas/EUA).

Tanto Piedade quanto a ópera Serse foram espetáculos eleitos pela crítica entre os destaques do ano na cidade do Rio de Janeiro, em 2016 e 2018.

Em 2019, regeu os concertos de lançamento da Orquestra Sinfônica de Mulheres do Rio de Janeiro, orquestra que marca a representatividade feminina no meio musical e artístico. Atualmente é a regente convidada da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca “Chiquinha Gonzaga”, um orquestra formada por alunas da rede municipal de escolas do Rio de Janeiro, dentro do programa “Orquestra nas Escolas”.

Este ano Priscila teve na agenda concertos com a Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e a Academia de Ópera do Theatro São Pedro em São Paulo, além de concertos no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Sala Cecília Meireles.

Participou de cursos de regência no Brasil e exterior, sob a orientação dos maestros Leonid Grin (Chile), Alexander Polianychko (Rússia), Fabio Mechetti, Abel Rocha e Isaac Karabtchevsky (Brasil) e Neeme Järvi e Paavo Järvi (Estônia).

Priscila nasceu e iniciou seus estudos musicais em Portugal, onde venceu seu primeiro concurso, de piano, aos nove anos de idade. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro, graduou-se em Piano com o título máximo suma cum laude, em Regência Orquestral, e concluiu o seu Mestrado em Performance em Piano com um relevante trabalho sobre Leitura à Primeira Vista ao Piano.

Foto: Meg Lopes